Posturas invertidas para doentes cardiovasculares?

Ao longo dos anos, tenho lido artigos sobre investigações e estudos por parte de médicos e cientistas quanto aos efeitos do yoga sobre a saúde física e mental. Por experiência própria, sei que existem profissionais de saúde que acham que o yoga não pode trazer os benefícios proclamados pelos mestres/professores de yoga  e seria melhor procurar outra coisa. São estes profissionais que precisam de provas concretas através dos estudos clínicos para mostrar o que nós, os praticantes, já sabemos sobre os efeitos positivos que uma prática regular pode trazer. A possibilidade de adaptar cada postura consoante as capacidades e necessidades de cada praticante, torna o yoga uma mais valia para ajudar as pessoas com problemas da saúde.

Quando estudamos as posturas de yoga, podemos encontrar recomendações específicas para certos problemas de saúde que poderiam beneficiar da sua prática. Também encontramos quais os problemas de saúde que tornam uma postura desaconselhada, por exemplo, as invertidas para os casos de doentes cardiovasculares. Qual é a base deste conselho? Pessoalmente, não sei. Fui ensinada assim, e assim ensinava também.

Mas agora podemos ter uma resposta brevemente, após um estudo com um doente cardiovascular e praticante de yoga. E a sua conclusão pode ter a potencialidade de nos surpreender.

Em baixo, coloco um link para um artigo interessante de Audra Burch, publicado no Miami Herald. É sobre Sally Mertens de 74 anos que tem praticado yoga durante os últimos quinze anos. Há sete anos foi-lhe diagnosticado um aneurisma da aorta torácica (enfraquecimento na aorta, a artéria principal que leva o sangue do coração para o corpo e uma ruptura pode ser fatal). Enquanto o seu médico concordava com a prática de yoga, disse a Mertens para evitar as posturas invertidas.

Agora, Mertens está a participar num estudo sobre a prática de posturas invertidas e os possíveis efeitos cardiovasculares. A esperança dos responsáveis pelo estudo com Mertens é a possibilidade de poderem encontrar pistas promissoras sobre os efeitos destas posturas de yoga em pacientes com doenças cardiovasculares.

Os resultados iniciais mostraram aumentos moderados na pressão arterial e frequência cardíaca de Mertens, uma resposta semelhante à de alguém a andar numa máquina de passadeira rolante. Mertens estará sujeita a mais exames e estudo, e seria necessário alargar o estudo com outros doentes, portanto ainda é cedo para tirar conclusões. É interessante ler o artigo:

Can a 74-year-old yogi with an aneurysm safely stand on her head? Read more here: http://www.miamiherald.com/living/health-fitness/article104302036.html#storylink=cpy

Retiro de Yoga na Varzea de Sintra

Uma oportunidade maravilhosa para participar num retiro com o Yogui Walter Ruta, num lugar muito especial na Varzea de Sintra.

INSCRIÇÕES ATÉ 30 ABRIL

Local: Tenchi, em Sintra.
Rua Moinho do Gato, 2710-661, Várzea de Sintra

Horário: Das 5h às 17h, com intervalo para refeições.

Refeições:
• Pequeno almoço incluído, com yogurte, cereais, tostas, ghee, mel, fruta.
• Almoço incluído, inclui sopa, cada um traz o que preferir de forma a partilharmos.

Alojamento: Os alunos que venham de longe e aos quais não seja possível ir dormir a casa, poderão pernoitar no Dojo do Tenchi, basta que para tal tragam saco cama, toalha para banho, etc..

Preço:
• Pré-inscrição obrigatória até 30 de Abril – 60€ (não reembolsáveis);

• Sócios FPY – Inscrição até 31 de Maio – 195€ (já inclui pré-inscrição);

• Não Sócios FPY – Inscrição até 31 de Maio – 270€ (já inclui pré-inscrição);

• 50% De desconto para desempregados, mediante a apresentação de comprovativo. No entanto a estes pedimos que se disponibilizem para ajudar nos preparativos para o retiro e durante o mesmo.

Aos interessados pedimos o favor de procederem o quanto antes à vossa pré-inscrição em:
federacaoportuguesayoga@gmail.com de forma a garantirem o vosso lugar, pois o prazo limite para as mesmas é o dia de 30 de Abril.
Obrigado pela vossa atenção.

Image

Image

Surya Namaskar: Dos tempos Védicos aos tempos modernos

No mundo ocidental, a prática de Surya Namaskar tem muitos adeptos e é executada em quase todas as aulas de yoga pelos praticantes como sendo um tipo de aquecimento, ou seja, uma preparação para os restantes asanasContinue reading “Surya Namaskar: Dos tempos Védicos aos tempos modernos”

Os Yoga-Sûtra …

Os Yoga-Sûtra de Patanjali são o texto fulcral da escola (darshana) de filosofia Indiana ortodoxa chamada Yoga. Pouco se sabe sobre Patanjali, o que tem gerado alguma controvérsia acerca da data em que os Yoga-Sûtra vieram a ser compilados. Contudo, Patanjali é considerado como o compilador ou sistematizador da tradição de yoga, dando-lhe assim a sua forma clássica que hoje conhecemos em todo o mundo. Sendo uma disciplina espiritual, o Yoga visa o controlo das actividades psicofísicas para realizarmos a nossa verdadeira natureza e conseguir o objectivo de libertação ou moksha. Os Yoga-Sûtra definem quais são essas técnicas através dos seus aforismos concisos.

No seu livro, A Tradição do Yoga, Georg Feuerstein descreve os YogaSûtra como sendo “uma composição de afirmações aforísticas que, juntas, dão ao leitor como que um “fio” com que amarrar todas as ideias importantes que caracterizam aquela escola de pensamento. O sûtra, portanto, é um auxiliar da memória, parecido com o nó que se dá num lenço ou os garranchos que se apõem ao diário ou à caderneta de anotações.[1] O leitor deveria reflectir sobre cada sûtra e o seu sentido. Consoante a sua experiência, pouco a pouco, o propósito das palavras ser-lhe-á revelado para em seguida ser possível aplicá-lo na sua vida yoguica.

Os Yoga-Sûtra estão dividos em quatro capítulos, ou livros, chamados pâda, com um total de 196 aforismos:

I. samâdhi-pâda, com 51 aforismos, é o capítulo sobre o êxtase yoguico

II. sâdhana-pâda, com 55 aforismos, é o capitulo sobre a via de yoga

II. vibhûti-pâda, com 55 aforismos, é o capítulo sobre os poderes

IV.  kaivalya-pâda, com 34 aforismos, é o capítulo sobre a libertação


[1] FEUERSTEIN, Georg; A Tradição do Yoga; São Paulo, Editora Pensamento-Cultrix Ltda, 1998; p. 273