Os Ashtângas

Encontramos no Yoga-Sûtras no capítulo sâdhana-pâda, o aforismo 29 sobre os oito angas, ou membros de yoga (Ashtânga Yoga), considerados essenciais para a sua prática.

Os angas são:

Yama (refreamentos) – ahimsa(não violência) , satya (verdade), asteya (não roubar), brahmacarya (continência), aparigraha (desapego).

Niyama (observâncias) – çauca (purificação), samtosha (contentamento), tapas (esforço sobre si), svadhyaya (estudo), ishvara pranidhana (consagração de Deus).

Âsana (posturas)

Prânâyama (disciplina do sopro)

Pratyâhâra (retracção dos sentidos)

Dhârâna (fixação da atenção)

Dhyâna (continuidade da concentração)

Samâdhi (“enstase” – neologismo cunhado por Mircea Eliade*)

Assim, para conseguirmos praticar correctamente os âsanas e o prânâyama temos primeiro que saber aplicar os primeiros dois angas.  Se forçarmos qualquer aspecto da nossa prática, sentiremos o descomforto físico, a mente entra num estado de perturbação e ficamos impossiblitados de experimentar os estados de pratyâhâra, dhârâna, dhyâna e samâdhi.

*ELIADE, MIRCEA; Patanjali e O Yoga; Relógio D’Água Editores, Lisboa; 2000

 Ver também: Aplicar Yama e Niyama à Prática de Âsana

cropped-canstockphoto15455872.jpg

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s