Karma

A palavra karma está firmemente estabelecida nas linguas dos países do occidente, contudo, os estudiosos como René Guénon, Georg Feuerstein, Jean Filliozat, explicam que geralmente usamos a palavra num modo incorrecto. A nossa incompreensão da palavra vem do século 19 quando as noções da evolução da vida e da ordem moral no mundo ocidental começaram a ser influenciadas pelos ensinamentos Indianos, o conceito de karma acabou por ser comparado ao conceito de destino. Mas ‘destino’ implica que o nosso caminho na vida está governado por forças exteriores a nós próprios enquanto que ‘karma’  implica que temos a capacidade de alterar este caminho, como este proverbio Sânscrito nos mostra:

“É o cobarde e o tolo quem diz que este é o destino,

Mas é o homem sábio que se põe de pé e diz,

“Sou eu quem faz o meu destino.”

 As ‘más’ acções podem ser expiadas por ‘boas’ acções, mas todos nós temos que ser responsáveis por todas as nossas acções, sem possiblidade de escapar às consequências.

Sendo assim, a palavra karma não devia ser traduzida como sendo ‘destino’, mas ‘acção’ e no seu livro “A Tradição do Yoga”, Georg Feuerstein cita o dicionário Webster dizendo que a palvra karma é definidida como “a força gerada pelas acções da pessoa, força essa, segundo o Hinduísmo e o Budismo, que perpetua a transmigração e, em suas consequências éticas, determina o destino da pessoa na encarnação seguinte”.

Isto quer dizer que todas as acções têm as suas consequências; estas consequências poderão ser realizadas de imediato, outras adiadas e ainda outras serão realizadas em futuras encarnações.

Swami Sivananda diz no seu livro “All About Hinduism”:

“Karma não quer dizer somente acção, mas também o resultado daquela acção. A consequência duma acção realmente não é algo separado.  Faz parte da acção e não pode ser separada dela. Respirar, pensar, falar, ver, escutar, comer, etc, são Karmas. Pensar é o Karma mental. Karma é a soma total dos nossos actos nesta vida corrente e nas anteriores.  Qualquer feito, qualquer pensamento que causa qualquer efeito, é chamado Karma.  A lei de Karma quer dizer a lei de causação.  Onde existe causa, um efeito tem que ser produzido.  Uma semente é a causa duma árvore, que é o efeito.  A árvore produz sementes e torna-se a causa das sementes.”

É importante compreender que o conceito de karma não é sobre retribuição, vingança, castigo ou recompensa pelos nossos actos, karma simplesmente lida com “o que tem que ser”. Os efeitos de todas as acções activamente criam experiências passadas, presentes e futuras, fazendo com que cada um de nós seja responsável por nossas próprias vidas, com todas as suas alegrias e tristezas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s